Com essa evolução, OMS acredita que até 2015 o número de óbitos entre menores de cinco anos será reduzido em dois terços.


AGÊNCIA NOTISA – A erradicação da varíola é considerada por muitos estudiosos a maior conquista da saúde pública mundial. E o grande responsável por isso foi a vacina contra a doença. No artigo “Atualização em vacinas, imunizações e inovação tecnológica”, pesquisadores do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos de Bio-Manguinhos do Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) dizem que o binômio vacinas e imunizações continua a demonstrar alto desempenho na prevenção e no controle de outras doenças imunopreveníveis.


“As novas iniciativas globais em vacinação, como a Global Alliance for Vaccine and Immunization (Gavi), criada pela OMS, Unicef e Banco Mundial, vêm possibilitando a introdução de novas vacinas e salvando vidas de milhares de crianças nos países mais pobres do mundo”, dizem Akira Homma e colegas no artigo que foi publicado mês passado na revista Ciência & Saúde Coletiva.
No Brasil, os especialistas destacam o Programa Nacional de Imunizações (PNI), “considerado como um dos mais completos dentre os países em desenvolvimento”, que vem sendo fortalecido com a incorporação de novas vacinas no seu calendário de imunizações, como a vacina contra rotavírus, pneumococos conjugada, meningite meningocócica do sorogrupo C conjugada, além do H1N1 para as populações de maior risco.


“O país está se fortalecendo, criando marcos reguladores e financiando projetos de inovação tecnológica e modernização da infraestrutura de produção”, acrescentam. Um exemplo citado pelo artigo é o Programa de Desenvolvimento Tecnológico de Insumos em Saúde (PDTIS), criado em 2002 pela Fiocruz.


Segundo eles, esse fortalecimento do setor acontece em todo o mundo motivado pelo advento da biotecnologia moderna e o desenvolvimento de vacinas derivadas de tecnologia DNA recombinante e outras abordagens tecnológicas. “Esses fatores abriram perspectivas e possibilidades econômicas, motivando laboratórios multinacionais a fazerem grandes investimentos em inovação tecnológica de vacinas”, dizem.


Para ver o artigo na íntegra, acesse: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.


Fonte:  Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

Anterior

Wagner Rossi recebe dirigentes da ABIFINA

Próxima

"INCENTIVO À PESQUISA E À INOVAÇÃO É PRIORIDADE DO GOVERNO"