Na manhã desta quarta-feira (14/09), em votação secreta na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), ocorrida na reunião extraordinária realizada no Senado Federal, o Farmacêutico Dirceu Brás Aparecido Barbano foi reconduzido por unanimidade ao cargo de diretor presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em mandato representado por mais três anos.


A ABIFINA esteve presente nesta ocasião representada pela sua diretora de Relações Institucionais, Telma Salles, bem como pelos senhores Ogari Pacheco e Odilon Costa, respectivamente vice-presidente do segmento farmacêutico e diretor de assuntos regulatórios farmoquímicos da entidade.



Segue para votação em Plenário a recondução de Dirceu Brás Aparecido Barbano ao cargo de diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por mais três anos. A recondução foi aprovada na manhã desta quarta-feira (14), por unanimidade, em votação secreta, pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), após sabatina do indicado pela Presidência da República.


Paulista de Ibaté, Dirceu Barbano tem 45 anos, é farmacêutico com especialidade em Biofarmacognosia e tem curso de aperfeiçoamento em Farmacoterapia Racional. Em seus 20 anos de profissão, exerceu as funções de professor, a gestão do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo e do Sistema Único de Saúde (SUS) e várias funções na própria Anvisa, entre diretoria e presidência, cargo que ocupa atualmente.


Reconhecimento


Em sua exposição, Dirceu Braz afirmou aos senadores que a Anvisa é uma instituição que adquiriu, ao longo dos 12 anos de existência, com 86 postos instalados (entre os quais os de aeroportos, portos e fronteiras), “um enorme e importante espaço perante asociedade”, sendo reconhecida hoje não só pela credibilidade que conquistou, mas também pela responsabilidade que detém.


– O Brasil, hoje, é um país muito mais seguro em vigilância sanitária do que era antes da criação da Anvisa, para que as pessoas possam consumir, com segurança, produtos e serviços relacionados à saúde – garantiu o atual presidente da instituição. Ele afirmou ainda que a Anvisa tem reduzido substancialmente o número de normas, mas, por outro lado, aumentado o rigor na fiscalização.


Em seu relatório sobre a indicação, o senador Wellington Dias (PT-PI) ressaltou que Dirceu Barbano tem vasta experiência na área da saúde e na Política Nacional de Medicamentos, “o que o credencia ao exercício de funções diretivas no campo da vigilância sanitária e, mais especificamente, na função de diretor da Anvisa”.


O relatório de Wellington Dias foi lido pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que defendeu a rastreabilidade dos medicamentos no Brasil. Ela disse que os remédios interferem diretamente na vida das pessoas, “garantindo ou acabando com a saúde delas”.


O presidente da CAS, senador Jayme Campos (DEM-MT), afirmou que Dirceu Barbano é uma “pessoa preparada e, sobretudo, comprometida com o país”. Ele solicitou ao presidente da Anvisa o envio de sugestão, de caráter legislativo, para que o Congresso possa ajudar nos trabalhos desenvolvidos pela agência.


Paulo Davim (PV-RN) registrou que o indicado “tem tido coragem para enfrentar os obstáculos” a ele propostos e Cyro Miranda (PSDB-GO) afirmou ser um prazer reconduzir ao cargo uma pessoa de carreira com “exemplo de dedicação e reconhecimento”. Eduardo Suplicy (PT-SP), Waldemir Moka (PMDB-MS), Paulo Paim (PT-RS), Humberto Costa (PT-PE) e Wellington Dias (PT-PI) também elogiaram o trabalho que Dirceu Barbano vem desenvolvendo na Anvisa.


Registro de medicamentos


Ana Amélia (PP-RS) e Casildo Maldaner (PMDB-SC) questionaram a demora de até um ano para que a Anvisa conceda registros e autorizações para medicamentos, muitos já em uso em outros países.


– Essa demora acaba aumentando o risco de contrabando de medicamentos – observou Ana Amélia.


Dirceu Barbano reconheceu a demora para se registrar alguns medicamentos, observando que a Anvisa precisa analisar todos os processos envolvidos na formulação e fabricação de um novo produto ou serviço. Afirmou, no entanto, que a Agência tem estudado e tomado medidas para reduzir esse tempo. Mas observou que “não haverá mágicas” para isso, já que é necessário ter segurança para se liberar um novo medicamento para uso da população.


Marco Regulatório


Dirceu Barbano destacou ainda que o Congresso Nacional tem muito a contribuir com o trabalho da Anvisa, começando pela elaboração do Marco Regulatório para Controle de Propagandas. Segundo disse, também é importante que deputados e senadores se dediquem à elaboração de proposta sobre a concessão de patentes, “para que o país tenha uma postura rigorosa, clara, transparente e justa” nessa área.


Para ver a íntegra do que foi discutido na comissão, clique aqui.


Fonte: Agência Senado – Valéria Castanho

"Declaração de Washington", sobre Interesse Público em Direitos de Propriedade Intelectual
Anterior

"Declaração de Washington", sobre Interesse Público em Direitos de Propriedade Intelectual

Próxima

Ministério do Meio Ambiente lança Consulta Pública sobre resíduos sólidos

Ministério do Meio Ambiente lança Consulta Pública sobre resíduos sólidos