Fonte: ADAPAR
19/12/23

No mês de dezembro a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) atuou fortemente no combate aos agrotóxicos falsificados no Paraná. Com apoio da Polícia Militar as ações ocorreram em diversas regiões do Estado onde os policiais e fiscais agropecuários da Agência detectaram a falsificação de diversos agrotóxicos, em especial os fungicidas que possuem alto valor agregado e são mais utilizados neste período do ano.

Neste aspecto, a Agência propicia a interação dos agentes de fiscalização junto aos fabricantes de agrotóxicos, forças policiais e setor públicos ligados a defesa agropecuária para atualizar-se sobre o assunto. Além disso, utiliza equipamento portátil de detecção rápida que auxilia na pré-detecção da fraude ainda no campo e realiza coleta de amostras de produtos para análise laboratoriais de confirmação de irregularidades que muitas vezes confirmam a falsificação.

A Adapar orienta aos agricultores:

Adquirir agrotóxicos somente de empresas cadastradas na ADAPAR, pois elas geralmente adquirem insumos diretamente do fabricante, possuem responsável técnico pelo armazenamento e comércio, dispõe de profissionais da agronomia legalmente habilitados para a correta recomendação agronômica e os insumos agrícolas são rotineiramente fiscalizados pela Agência;

Atenção com vendedores ambulante de agrotóxicos na propriedade rural e desconfiar de preço abaixo do mercado praticado em sua região;

Após realizar a tríplice lavagem da embalagem do agrotóxico, é extremamente importante realizar o perfuramento delas visando inutilizá-la e evitar o uso dessas embalagens vazias originais para acondicionamento de produto falsificado, fato que dificulta muito a detecção da falsificação.

Todas as embalagens vazias de agrotóxico não podem ser comercializadas ou entregues a terceiros e devem, obrigatoriamente, ser devolvidas em postos ou central de recolhimento indicada pelo comerciante no corpo da nota fiscal para logística reversa até chegar no fabricante para destinação final adequada.

A utilização de agrotóxicos contrabandeados, roubados ou falsificados atenta contra a agricultura paranaense podendo gerar sérios prejuízos a inovação, economia, meio ambiente, saúde humana e a própria lavoura do agricultor. Em caso de dúvidas, procurar uma Unidade da Adapar mais próxima.

Matéria no site original

Cecop participa de reunião nacional que discute a falsificação de produtos que afetam a saúde dos consumidores
Anterior

Cecop participa de reunião nacional que discute a falsificação de produtos que afetam a saúde dos consumidores

Próxima

Orientação atualizada sobre cannabis medicinal