Odilon Costa, presidente da ABIFINA, destaca a importância do acesso à saúde garantido pelo SUS

Entre os dias 7 e 10 de maio, acontece o 8th International Symposium on Immunobiologicals (ISI), organizado pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz). O evento ocorre de forma híbrida, com presenças físicas no auditório da FGV em Praia de Botafogo, Rio de Janeiro.

No dia 08 de maio, Odilon Costa, presidente do Conselho Administrativo da ABIFINA, compôs a mesa redonda “O Complexo Econômico e Industrial Brasileiro: Como alcançar maturidade e autossuficiência?”. Além de Odilon, participaram da mesa Artur Couto, de Bio-Manguinhos/Fiocruz; Esper Georges Kallás, do Butantan; e José Marinho, da ALFOB, sob a moderação do Professor Akira Homma, também de Bio-Manguinhos.

Odilon ressaltou a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) como patrimônio nacional e enfatizou a necessidade de integrar o mercado à visão de saúde pública para garantir acesso universal. Criticou a falta de continuidade nas políticas de saúde, que prejudica o desenvolvimento do setor industrial brasileiro. Também abordou a importância de aumentar a produção local de Insumos Farmacêuticos Ativos (IFAs) e de fortalecer o complexo industrial da saúde para reduzir a dependência externa, revelada durante a pandemia de COVID-19.

Sobre as Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs), Odilon ressaltou seu potencial em promover a inovação e a autossuficiência. Ele destacou que, apesar de serem uma ideia promissora, os PDPs têm enfrentado desafios, principalmente devido à falta de clareza e continuidade nas políticas governamentais. “Precisamos ter uma política um pouco mais sustentável, previsível e de longo prazo”, argumentou, evidenciando a necessidade de melhorar a execução dessas parcerias para garantir sucesso e sustentabilidade.

Para Odilon, a chave para superar esses desafios é desenvolver uma política industrial robusta e previsível, que promova parcerias público-privadas eficazes e sustentáveis. “Precisamos de ações concretas para garantir que nosso país seja capaz de responder às suas próprias necessidades de saúde”, concluiu, reforçando o compromisso da ABIFINA com o fortalecimento da indústria nacional e a promoção de inovações que garantam um futuro mais seguro e saudável para todos os brasileiros.

A mesa redonda proporcionou uma rica discussão sobre como alcançar a maturidade e autossuficiência no Complexo Econômico e Industrial Brasileiro.

Descubra tendências de tecnologia pelas patentes no INPI
Anterior

Descubra tendências de tecnologia pelas patentes no INPI

Próxima

ABIFINA realiza 2º Curso de Capacitação em Propriedade Intelectual